sexta-feira, 21 de setembro de 2018

VOCÊ É OU FINGE SER?



“Melhor é não ser ninguém e, ainda assim, ter quem o sirva, do que fingir ser alguém e não ter comida.” (Provérbios 12.9)

As aparências enganam, é o que costumamos dizer. Mas, sejamos sinceros, as aparências também encantam. E é justamente por isso que enganam! 


É inegável que a aparência tem seu valor e importância. Mas torna-se um problema se em lugar de contribuir com a realidade, expressando-a, serve para encobri-la, disfarçando-a.

Salomão nos adverte sobre o engano desta atitude. De nada adiantaria fingir ser alguém e não ter nem mesmo o que comer. Assim como, de nada adianta fingir piedade, honestidade, fé, harmonia familiar se elas de fato não são uma realidade na vida real.

O limite saudável da aparência é sua harmonia com a realidade. Se ela começa a torna-se uma máscara, um disfarce, estamos vivendo contrariamente à vontade de Deus. É impossível ser feliz assim!

A realidade é exigente, dá trabalho. Harmonia conjugal, saúde financeira, profundidade espiritual exigem investimento de alma e dedicação de vida. É mais fácil falar como se fossemos honestos do que ser honesto. É mais fácil aparentar ser um cristão verdadeiro do que ser um. É mais fácil fingir que somos santos e não vivemos em pecado do que realmente resistir a ele.  As aparências encantam, enganam e falham!

As crianças são completamente avessas ao fingimento, e seria ótimo se viessem a ser adultos assim. Mas acabam aprendendo como as coisas “de fato são no mundo real”. Seria ótimo se apenas aprendessem o equilíbrio para enfrentar um mundo de aparências, em lugar de aderir aos fingimentos que a maioria dos adultos prefere adotar. Mas para isso as crianças precisam de bons exemplos.

E quanto a nós, adultos? Precisamos de inspiração e coragem para viver mais e fingirmos menos. Como cristãos, somos convocados à verdade. Sem ela não podemos adorar a Deus.

Temos nas Escrituras diversas situações em que o fingimento é claramente reprovado por Deus:

Na falsa profecia, que visa glória pessoal e o engano coletivo “Então o Senhor me disse: "É mentira o que os profetas estão profetizando em meu nome. Eu não os enviei nem lhes dei ordem nenhuma, nem falei com eles. Eles estão profeti­zando para vocês falsas visões, adivinhações inúteis e ilusões de suas próprias mentes". (Jeremias 14:14)

Na heresia que se traveste de doutrina e visão espiritual, onde se esconde uma perigosa armadilha para aqueles que ignoram com profundidade a verdade bíblica “Recomendo, irmãos, que tomem cuidado com aqueles que causam divisões e põem obstáculos ao ensino que vocês têm recebido. Afastem-se deles. Pois essas pessoas não estão servindo a Cristo, nosso Senhor, mas a seus próprios apetites. Mediante palavras suaves e bajulação, enganam o coração dos ingênuos.” (Romanos 16:17-18)


Na vaidade dos que pensam ser o que não são “Se alguém se considera alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo.” (Gálatas 6:3)


Na repugnante postura daqueles que adotam a mentira como estratégia para o benefício próprio “Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo.” (Efésios 4:25)

Ou então na hipocrisia daqueles em quem a maldade já se enraizou “Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada.” (I Timóteo 4:2)

Em meio a tantos disfarces, sejamos exemplo de conduta irrepreensível e de integridade. Sejamos pessoas de caráter, que podem andar de cabeça erguida, não por altivez ou arrogância, pela consciência tranquila de um coração humilde e sincero na presença de Deus. Sejamos santos de verdade e não apenas sepulcros caiados, religiosos com máscaras de piedade pública, mas que escondem e cultivam toda sorte de imundos pecados em seu interior.

O verdadeiro filho de Deus não pertence ao mundo do egoísmo, assim como a vida verdadeira está além das aparências. Por isso, mais uma vez é tão importante lhe perguntar: Você é de verdade tudo aquilo que aparenta ou apenas finge ser?

Um comentário:

  1. “Se alguém se considera alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo.” (Gálatas 6:3)
    No decorrer da vida, a grande maioria do ser humano vive fingindo; assim como a maioria daqueles que se dizem cristãos, fingem o que não são: pura hipocrisia! Que Deus por Sua infinita misericórdia,permaneça em nós e tenha compaixão de cada um de nós, pois sem Ele, não adianta fingir: "não somos nada".

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...