terça-feira, 6 de junho de 2017

SER PASTOR. MEU GRANDE PRESENTE


Hoje é dia 06 de Junho. Dia em que Deus me permite estar vivo para comemorar junto à minha família e aos que verdadeiramente me amam mais um ano de jornada nesta terra.  Normalmente nestas datas fala-se muito em ganhar presentes. Eu já recebi vários, mas talvez o que mais me alegra é ter achado a graça de ser escolhido por Deus para ser aquilo que amo ser: Ser Pastor...

Ser Pastor! Uma afirmação tão pequena, mas repleta de significado! É muito mais que ser um pregador. Está além de ser um administrador de igreja. Muito além de professor. É algo da alma, não apenas do intelecto. É a resposta a um chamado e não a uma decisão de vida.

Ser pastor é sentir paixão pelas pessoas que não conhecem a Cristo. É desejar a salvação de alguém de forma tão intensa, que nos leve a repartir as boas-novas com ele/a. É pensar no marido desta irmã, no filho daquela outra, nos vizinhos da igreja, nos garotos da rua. Ser pastor é tudo fazer para conseguir ganhar alguns para Cristo.

Ser pastor é festejar a festa da igreja. É alegrar-se com a alegria daquele que conquista um novo emprego, daquele que se gradua na faculdade, daquele que recebe a chave da casa própria ou alta do hospital.

Ser pastor é ter o brilho da alegria ao ver a felicidade de um casal apaixonado, ao ver o sucesso na vida cristã de um/a jovem consagrado/a; é festejar a conversão de um familiar de alguém da igreja por quem há tempos se vinha orando.

Ser pastor é desejar o bem querendo apenas a felicidade de participar da hora feliz.

Mas ser pastor também é chorar. Chorar pela ingratidão dos homens. Chorar porque muitas vezes há aqueles que nos perseguem, nos criticam, levantam falso testemunho contra a igreja e contra nós. É chorar com os que choram, unindo-nos ao enlutado que perdeu um ente querido, é dar o ombro para o entristecido pela perda de um amor, é ser a companhia do solitário, é ouvir a mesma história uma porção de vezes por parte do carente.

Ser pastor é não ter outro interesse senão o de pregar a Cristo. É não se envolver nos negócios deste mundo. É saber dizer não quando o coração dizer sim. É não dar atenção demasiada para uns, esquecendo-se dos outros. É não ficar do lado deste ou desta, em detrimento dos outros/as.

Ser pastor é ser pai. É disciplinar com carinho e amor ou com a firmeza da vara e da correção. É obedecer à Bíblia, não aos homens. Ser pastor é ser justo. Ser pastor é saber dizer não, quando a emoção manda dizer sim; é ter a consciência de não ser sempre popular, principalmente quando tiver que tomar decisões pesadas e difíceis. Por outro lado, saber ser humilde quando a bênção de Deus o honrar diante do rebanho e diante do mundo. Os erros são nossos, mas a glória é de Deus.

Ser pastor é socorrer ao necessitado no horário da necessidade. Ser pastor é não medir esforços pela paz. É pacificar pais e filhos, maridos e esposas, sogros e genros, irmãos e irmãs.  
Ser pastor é sofrer o dano, o dolo, a injustiça, confiando n’Aquele que é o galardoador dos que o buscam. 

Ser pastor é dar a camisa quando lhe pedem a blusa, andar duas milhas quando o obrigam a uma, dar a outra face quando esbofeteado. Ser pastor é estar pronto para a solidão. É manter-se no Santo dos Santos de joelhos dobrados, obtendo a solução para os problemas insolúveis. Ser pastor é ser sacerdote, mantendo sigilo no coração, mantendo em segredo o que precisa continuar sendo segredo e repartir com as pessoas certas aquilo que é “repartível”.

Ser pastor é muitas vezes não ser convidado para uma festa, não ser informado de uma notícia ou ser deixado de fora de um evento, e ainda assim manter a postura, a educação e o polimento.
Ser pastor é ser profeta, tornar o seu púlpito “uma espada de dois gumes”, afiada, proclamando aos quatro ventos a salvação e a santificação do povo de Deus.

Ser pastor é ser marido e ser pai. É fazer de seu ministério motivo de louvor dentro e fora de casa.  É orgulhar-se de ser pai, alegrar-se de ser esposo. É ser sacerdote dentro de casa e pastor, acima de tudo, de sua própria família.
Ser pastor é pedir perdão. Se os pastores fossem super-homens, Deus daria a tarefa pastoral aos anjos, mas Ele preferiu fazer de pecadores convertidos os líderes do Seu rebanho, pois, sendo humanos, poderiam mostrar aos demais que é possível ser uma bênção. Mas, quando pecarem, saberem pedir perdão. A humildade é uma chave que abre todas as portas, até as portas emperradas dos corações decepcionados.

Ser pastor é crer quando todos descreem. Saber esperar com confiança, saber transmitir otimismo e força de vontade. 
Ser pastor é ver o lado bom da questão, é vislumbrar uma saída quando todos imaginam que é o fim do túnel. 

Ser pastor é contagiar, e não contaminar. Ser pastor é inovar, é renovar, é oferecer-se como sacrifício em prol da vontade de Deus. Ser pastor é fazer o povo caminhar mais feliz, mais contente, é fazer a igreja acreditar que o impossível é possível. As guerras não são ganhas com armas, mas com palavras, e as do pastor são as palavras de Deus, portanto, invencíveis.

Ser pastor é saber envelhecer com dignidade, sem perder a jovialidade. É ser amigo dos jovens e companheiro dos adultos. Ser pastor é saber contar cada dia do ministério como uma pérola na coroa de sua história. Ser pastor é ser companhia desejada, querida, esperada. É saber calar-se quando o silêncio for a frase mais contundente e falar quando todos precisarem ouvir.

Ser pastor é saber viver. Ser pastor é saber morrer. E quando morrer, deixar em sua lápide dizeres que expressem na mente de suas ovelhas o que Paulo quis dizer, quando estava para partir: “Combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé”.
Ser pastor é deixar um rastro na floresta na vida, para que outros encontrem o caminho para o Reino do Senhor. Ser pastor é fazer com que os filhos e os filhos dos filhos tenham um legado, talvez não de propriedades, dinheiro ou riquezas, mas o legado do patriarca da família, daquele que viveu e ensinou o que é ser um pastor.

Eu sou pastor. Este é o melhor de todos os presentes que Deus já me deu. Obrigado à minha esposa e filhos (razão de meu viver). Obrigado meus pais e irmãos de sangue, obrigado amigos e irmãos em Cristo que me apoiam e oram por mim. Obrigado a todos que já me perseguiram, traíram, caluniaram ou se levantaram contra minha vida e/ou meu ministério (graças a vocês aprendi o que significa amar, tolerar e perdoar). Obrigado Jesus, pois muitos de minha geração preferiram as mais diversas e promissoras carreiras profissionais, mas tu me levantaste e desde muito jovem semeaste em meu coração fazer de mim aquilo que hoje sou – Um pastor. Muito obrigado Senhor!

2 comentários:

  1. Linda reflexão,parabéns pastor Reinaldo

    ResponderExcluir
  2. Como sempre nos brindando com uma excelente reflexão!
    Parabéns mais uma vez!
    Que o Senhor amplie cada vez mais os seus conhecimentos pastorais.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...