sábado, 25 de março de 2017

DEUS DOS BONS E DOS MAUS

"O SENHOR é bom para todos, e as suas misericórdias 

são sobre todas as suas obras." 

(Salmos 145:9)



Não existe um sol específico para cristãos e uma lua inferior para os ímpios. O mar que banha os filhos de Deus é o mesmo que deslumbra os olhos incrédulos dos que lhe negam a existência.

“porque Ele [Deus] faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.” (Mateus 5.45).

O estado de pecado do ser humano o faz não merecedor de nenhuma bênção de Deus. Se Deus não derramasse sequer uma bênção sobre o ser humano não estaria sendo injusto e nem mau. Porém, observamos que não é assim que Deus age. Observamos claramente que Deus age com Sua graça mesmo entre os maus como disse Jesus. Não obstante, Deus opera muito mais do que fazer o sol nascer e a chuva cair para abençoar justos e injustos! A graça comum de Deus é muito amplamente derramada no mundo.

Observe, por exemplo, que mesmo os maus têm talentos que podem ser usados em prol da sociedade. Observe quantos ateus cientistas, que sequer declaram Deus como Senhor, têm inteligência e vida para trazer benesses à humanidade e a si mesmos. Observe que a terra, ano após anos, dá o seu fruto, traz riquezas, possibilidades de bem a todos. Observe como a graça comum de Deus permite que haja autoridades, justiça, ordem – ainda que imperfeita. Observe que muitos seres humanos conseguem viver uma vida com bons valores mesmo estando afastados de Cristo. Tudo isso e muito mais é o derramar da graça comum de Deus sobre a vida na terra.

Não fosse essa graça comum de Deus, o ser humano sofreria de forma quase insuportável o poder das consequências devastadoras de seus pecados, que transformariam tudo em um caos. O mundo estaria em um caos maior do que o que vemos hoje. Por isso a Bíblia declara: “Pois do SENHOR é o reino, é ele quem GOVERNA as nações.” (Salmos 22.28). O governo de Deus, de forma justa, derrama essa graça comum sobre justos e injustos.


Mas, não seria isso tudo um ato de fraqueza do Criador? Não é comum a um pai privilegiar seus filhos em detrimento dos estranhos?


Talvez seja essa a grande ilusão dos que tentam discernir a natureza de Deus a partir de suas próprias inclinações carnais e imperfeitas. Deus criou um mundo com oportunidades iguais para todos. Seus filhos são bem aventurados, mas não privilegiados. Assim o Seu amor sem medidas se expressa de forma prática, ofertando possibilidade de paz, felicidade e salvação, mesmo para o mais transgressor de todos os homens. Deus amou o mundo inteiro e ao mundo inteiro oferece o caminho para os céus, como vemos em João 3:16.

Semelhantemente, o Senhor impõe aos que o amam a possibilidade da aflição, da tragédia e da tristeza, pois é por meio dessa democrática contingência, que a liberdade humana para recebê-lo ou rejeitá-lo se estabelece. Mais lá na frente, cada um colherá os frutos pelo modo como exerceu sua liberdade. Mas, por enquanto, bons e maus, têm as mesmas oportunidades, dadas por um Deus inexplicavelmente amoroso.

Esse é o evangelho bíblico. Essa é a graça comum de Deus que alcança todos os homens. Essa é a verdade contida nas Escrituras. E grande é o bem que fazem a si próprios todos aqueles que fogem e abominam qualquer discurso noutra direção.

Que o Senhor Jesus nos abençoe, hoje e sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...