segunda-feira, 6 de março de 2017

ARREBATAMENTO DA IGREJA: A PREGAÇÃO ESQUECIDA



Ministrações sobre bênçãos e prosperidade têm tomado o lugar das pregações de arrependimento dos pecados e volta de Cristo. Mas por que algumas igrejas quase não pregam mais sobre esse tema?

Graça, prosperidade, bênçãos e vitórias. Esses são alguns dos temas otimistas pregados em muitas igrejas evangélicas da atualidade. Por que muito se fala sobre bênçãos, riquezas, graça de Deus para a vida dos cristãos e muito pouco se prega a respeito da salvação, conversão dos pecados e, principalmente, a volta de Cristo? Será que algumas igrejas estão usando o púlpito para ministrar o que o povo quer ouvir, ou o que precisam ouvir e o que Deus realmente quer falar? Eu já não tenho mais dúvidas da resposta a esta pergunta. Você tem?

Eu lamento e muito o fato de alguns pastores diminuírem as pregações sobre salvação, arrependimento e pecado. Algumas igrejas perderam o foco. Estão pregando um evangelho sem a cruz e sem o sangue de Cristo, dando preferência às pregações brandas para não afugentar seus membros em seus cultos ao gosto freguês. Começam com muitas músicas, muitas oportunidades, dançarinas esbanjando sensualidade, teatros cada vez mais performáticos e um tempo muito reduzido para pregação da Palavra. O resultado? Uma igreja lotada de membros, que a procuram para o seu entretenimento religioso, mas sem conhecimento da Palavra, que por sua vez é essencial para a purificação, santificação e libertação do pecado e, consequentemente, o plano de salvação de almas fica completamente comprometido.
Estamos diante de uma geração que prefere ouvir que está tudo bem, que Deus vai dar vitória, do que ser confrontada com uma pregação que a faça refletir sobre o seu pecado. O Reino dos céus é seletivo (Mt 13:47-48) e não é possível falar de salvação dentro de uma teologia ortodoxa sem entrar na questão do pecado. O pecado nos afasta de Deus e nos desvia do caminho do céu.
Na era da inversão de valores, em que o certo passou a ser errado, e o errado passou a ser o certo, um considerável número de pessoas não quer sentar em um banco de igreja para ouvir que, se não mudar seu comportamento, terá estadia permanente no inferno. Desta forma acaba sendo mais ‘lucrativo’ pregar sobre temas corriqueiros do dia a dia, que proporcionem um bem-estar ao ouvinte, de modo que ele se torne um frequentador assíduo. Em outras palavras, pregar o que o povo quer ouvir. É mais fácil, agrada a todos e gera lucro.
A Palavra de Deus adverte que sem santificação ninguém verá a Deus (Hb 12:14). A purificação dos pecados acontece através do sangue de Jesus Cristo, quando um pecador se arrepende dos seus erros e começa a ter uma vida diária de santificação, de fé em fé, para que, por graça, ele possa ir morar no lugar preparado para os santos: o céu. Por isso, é primordial a pregação da volta de Cristo nas igrejas, para que os cristãos estejam preparados e desfrutem do que Deus preparou para os Seus. Estamos vivendo os últimos dias. Diversas profecias estão se cumprindo diante de nossos olhos, nos alertando sobre o resgate da igreja do Senhor. Estamos realmente muito próximos do arrebatamento. A pregação sobre esse tema se torna muito importante para que todos entendam que não é hora de brincar de ser crente, é hora de decisão. Se alguns não pregam sobre isso, é por falta de fé, por falta de conhecimento do assunto ou mesmo por falta de compromisso sincero com Deus.
Mesmo com uma data imprecisa, a volta de Jesus Cristo é real e todo cristão deve estar se preparando para esse dia. O alerta da veracidade do arrebatamento nos conscientiza de que precisamos estar sempre prontos. Isso nos faz pensar, por que alguns pararam de pregar sobre um dos mais importantes acontecimentos relacionados à igreja? Seria porque pregar sobre arrebatamento não gera oferta? Porque a volta de Jesus não é a preocupação das pessoas, nem da igreja atual? Porque não atrai público? Porque estamos oferecendo paliativo ao invés de solução e mudança de vida?
Tudo que conquistamos aqui é momentâneo, muitos estão se preocupando com o agora, porém o que Deus quer proporcionar é eterno. A vinda do Senhor está próxima. Que o Senhor nos ajude a estar prontos para este dia.
Apesar de existir uma tendência real de alguns palestrantes pretenderem tornar o conteúdo do sermão o mais agradável possível ao seu público, satirizando textos bíblicos, usando anedotas, os quais se vestem de maneira chamativa, tornando-se verdadeiros artistas, ou mesmo palhaços tratando o sagrado lugar de adoração num picadeiro circense, os chamados “profissionais de púlpito”, ainda existem os que se preocupam com a pregação da verdade da Palavra de Deus. E mesmo não tendo como negar que algumas igrejas estão mais preocupadas em manter adeptos do que de pregar a verdade, o verdadeiro pastor (e sei que falo com muitos deles agora) busca consolo em saber que ainda há pastores e igrejas comprometidos em ajudar os cristãos na caminhada para o grande dia do Senhor. Existem pastores fiéis e igrejas sérias que testemunham a verdade, doa em quem doer, e que no dia do Senhor ouvirão: “Vinde, benditos de meu Pai” (Mt 25:34).
De que lado você está? Esta é uma pergunta que reiteradamente tenho feito na maior parte de minhas pregações. É impossível silenciar sobre a volta de Jesus ou minimizar os impactos profundamente impopulares desta verdade. Noé passou quase um século proferindo uma mesma mensagem. Os anos se passaram, o descrédito se instaurou, o escárnio se multiplicou e a lógica do mundo conquistou os corações, com sua permissividade e seu pecado irrefreável. Até que as águas do dilúvio vieram qual ladrão na madrugada e ninguém, exceto os que estavam preparados, conseguiram embarcar na Arca.
Pregue a Palavra de Deus. Anuncie a volta de Jesus e Seu juízo inevitável sobre esta terra corrupta e esta geração depravada. Odeie com toda sua alma heresias como teologia da prosperidade, atos proféticos, ministérios apostólicos, pastorado feminino, confissões positivas, maldições hereditárias, dízimos obrigatórios, objetos ungidos, campanhas que trocam bênçãos por dinheiro e esse nojento mundo de musicalidade comercial, chamado de gospel.
O que ocorre hoje em nossos púlpitos são mensagens afastadas do poder do evangelho de Cristo, onde os “pregadores”  tem se adornado com as pérolas do intelectualismo, se vestindo com as sedas da Filosofia e da Psicologia e deixado para trás a simplicidade e a sã doutrina do evangelho de Cristo.
“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (II Timóteo 4:3-4)
Infelizmente não há temor e tremor ao nome santo de Deus nas igrejas de hoje, os pregadores contam piadas no púlpito para “entreter” os ouvintes, falam sobre assuntos diversos: futebol, política, viagens e quando sobra tempo,  “as vezes”, leem a bíblia. Falta amor pelas almas e pela Palavra de Deus, sem oração, santidade e temor não há unção do Espírito Santo.
“O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência.” (Provérbios 9:10)

Causa-me perplexidade quando vejo esses tipos de “pregadores” que abrem a bíblia e “pregam” sem qualquer reverência, que distorcem o evangelho genuíno e contam fábulas, com objetivo de agradar homens carnais e seus desejos, levando milhares de almas á condenação eterna. Insensatos e irreverentes, se esquecem que Paulo em Gálatas 1:8-9 adverte que todo aquele que anunciar outro evangelho que difere das boas novas de salvação em Jesus Cristo, seja Amaldiçoado, ou seja, separado de Deus.
Temos visto pregadores em nossos púlpitos hoje em dia que tem se valido de seu intelecto, vontade, vasto conhecimento filosóficos, personalidades fortes e autoconfiança, porém sem temor  e unção do Espírito Santo.
A grande tragédia de nossos dias é que existem muitos pregadores sem vida, no púlpito, entregando sermões sem vida, a ouvintes sem vida. Que lástima!
A pregação nos púlpitos atualmente tem o tema centrado no homem em seus desejos e realizações e não na obra redentora de Jesus Cristo, não ouvimos mais pregações com temas centrados na vida eterna, arrependimento ou sobre a vinda de Jesus.
As igrejas estão abarrotadas de sermões sobre autoajuda, prosperidade, vida sentimental e outras coisas relacionadas as vontades dos homens, porém a bíblia condena tal atitude. Aparentemente, nunca leram I Jo 2:15:17 “Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.”
Não há reverencia no culto, temor ao nome santo de Deus, não há valorização da obra da cruz ou expectativa da volta do Messias.
Na realidade a igreja hoje está tão preocupada com as coisas deste mundo quanto os ímpios.
Não há busca do reino de Deus e sua justiça, mas sim nos desejos e vontades terrenas dos homens, que pregam de si para si mesmo. Pensamento totalmente contrário a Bíblia.
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33)

A apostasia levou a igreja atual a um sono tão grande a ponto de não perceber os sinais evidentes sobre a volta de Jesus Cristo, (o noivo) que virá buscar a igreja (sua noiva) muito em breve, porém só a igreja prudente entrará para as bodas do cordeiro, conforme Jesus nos mostra no texto de Mateus 25:10 “E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.”

Precisamos acordar. A igreja deve se voltar à pregação do verdadeiro evangelho, ou seja, as boas novas de salvação, esquecer essa pregação carnal e levar a mensagem transformadora de Jesus, pregada pelos apóstolos no livro de Atos, onde o centro da mensagem era Jesus Cristo e a obra redentora da Cruz.
Os crentes hoje só pensam nos bens materiais e realizações pessoais, e deixam sua preparação espiritual em segundo plano.
Não se preocupam em ler a Bíblia, não jejuam, não oram, não buscam a direção do Espírito Santo, não se importam com sua salvação com a vida eterna.
Estamos vivendo os últimos dias e apostasia está diante de nossos olhos, Jesus no sermão profético, previu sobre os falsos ensinos e alertou os apóstolos.
“E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane.” (Mateus 24:4)
“E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.” (Mateus 24:11)

Jesus está voltando, naquele grande dia, nada mais vai importar somente ser achado lavado e remido no sangue do cordeiro.
“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.” (Mateus 24:12-13
)

Deus te chama hoje! A porta da graça está aberta, arrependa-se e creia em Jesus como seu Senhor e Salvador.
Ande em sinceridade e humildade de coração, ame o seu irmão, a palavra de Deus e pregue o evangelho de Deus em tempo e fora de Tempo.
“Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.”
(Mateus 11:29
)

Eis a grande apostasia em nossos dias. Odeie isso. Odeie a apostasia maçônica Iluminatti que comanda tudo isto. Volte para o evangelho simples, para a humildade da fé. Volte para a Bíblia. Ainda dá tempo. Prepare suas vestes e mantenha-se vigilante para a vinda de Cristo, pois o dia se aproxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...