quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A BENÇÃO DO TRATAMENTO DIFERENCIADO



"O Senhor é compassivo e misericordioso, mui paciente e cheio de amor...

não nos trata conforme os nossos pecados"

(Salmos 103:8-10a)


Em geral nenhum de nós aceita de bom grado um tratamento diferenciado. Entendemos com base na lógica das relações humanas que a retribuição deve ter proporcionalidade para com a sua respectiva e provocativa anterior ação.

Em muitas circunstâncias essa é uma regra válida, mas na comunicação de amor que Deus estabelece com a criatura humana não é assim que ocorre.

Nossos sistemas promovem códigos rígidos e legislações restritivas, que visam impor limites e disciplinar práticas criminosas, por meio de ações punitivas. É bom inclusive que seja assim no contexto sociológico. Mas o que seria de nós se Deus adotasse a mesma prática? Quem permaneceria de pé diante da ação justa da retribuição Divina para com nossos atos e pensamentos pecaminosos?

Uma das mais extraordinárias e maravilhosas ações de Deus em benefício do mundo é a Sua infinita misericórdia. Muitos não entendem as razões pelas quais um Deus justo não aniquila em definitivo todos os praticantes da maldade que existem nesse mundo. Muitos se perguntam quais seriam os argumentos que explicariam a aparente inércia do Criador perante o desenfreio pecaminoso que grassa e corroí as estruturas morais e espirituais do mundo.

A resposta está no amor de Deus. Ele que sempre nos reergue de nossas sucessivas quedas, que sempre nos perdoa das transgressões quase que diárias e que pacientemente aguarda nosso retorno, após ocasiões de fuga e desvio - da mesma forma oferece ao mundo inteiro sua generosa capacidade de esperar que homens e mulheres se convertam de seus maus caminhos e se entreguem ao Salvador, Cristo Jesus!  "O Senhor não retarda a Sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se."  (II Pedro 3:9)

De posse dessa informação tamanhamente sublime, saibamos honrar e valorizar o amor que o Pai nos tem. Saibamos administrar nossa salvação como o maior de todos os tesouros, retendo um caráter firme, uma justiça pessoal inabalável, um compromisso invendável com a ética, com a probidade, com a humildade e com o amor desinteressado.

E por fim, que o presente século aprenda, por meio de nosso próprio exemplo de mordomia cristã, a desejar e correr apressadamente em direção a esse magnífico amor, que ainda mantém vivo um mundo digno de morte e que ainda oferece paz e salvação para todos aqueles que prefiram o caminho apertado e a porta estreita.

Você tem dado valor ao amor de Deus? Tem sido um filho e uma filha que honra e faz feliz Seu Pai celestial? Ou será que o amor e a paciência de Deus, em seu caso, como no de muitos outros, equivale a uma pérola lançada aos porcos?  Deixo essa resposta com a sua consciência e coração.

Que Cristo Jesus nos abençoe, hoje e sempre!

Um comentário:

  1. Gostei do tema, bem sugestivo, é uma pena que embora as pessoas gostem de ser tradas com diferenciamento, Eles estão cegas para entender que o Pai celestial não nos trata de acordo com nossos pecados, mas de forma amorosa e gentil.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...